Golden Visa
Tax Benefits
  • Back

    Hotelaria bate recordes de 2007 com 168,7 milhões em proveitos

    Os dados esta semana divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística mostram que os proveitos totais na hotelaria aumentaram 20,2% em abril, para os 168,7 milhões de euros, com a taxa líquida de ocupação por cama a crescer 7,3% para os 43,7%. Estes números batem os recordes de abril de 2007, sendo os mais elevados desde então.

    Os dados esta semana divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística mostram que os proveitos totais na hotelaria aumentaram 20,2% em abril, para os 168,7 milhões de euros, com a taxa líquida de ocupação por cama a crescer 7,3% para os 43,7%. Estes números batem os recordes de abril de 2007, sendo os mais elevados desde então.

    De acordo com o INE, há 7 anos a taxa de ocupação atingiu os 44,1%. No acumulado de janeiro a abril, a taxa de ocupação por cama foi de 31,9%, correspondente a uma subida de 2,5%.

    De salientar que em abril a evolução da taxa líquida de ocupação por cama foi positiva em todas as regiões, nomeadamente no Alentejo, que registou uma subida de 8,7%, Lisboa, com +8,6% e Algarve, com +8,4%. O nível de ocupação registado na Madeira foi de 63,4%, em Lisboa de 57,8% e no Algarve de 41,5%.

    A taxa de ocupação por cama aumentou em todas as tipologias, nomeadamente nas pousadas, que registaram uma subida de 13,9%, e nos aldeamentos turísticos, com mais 10,5%. Os hotéis de 5 e 4 estrelas registaram os valores mais elevados, de 52,6% e 52,4%, respetivamente.

    No que concerne o número total de dormidas, este foi mais expressivo no Alentejo, com um aumento de 44,9%, no Algarve e no Norte. A Madeira registou mais 5,8% de dormidas, praticamente em linha com o mês anterior, enquanto que os Açores registaram +9,5%.

    Sem surpresas, o Algarve foi a região de eleição da época da Páscoa, sendo seguida por Lisboa e pelo Norte.

    No que diz respeito à estadia média anual, o aumento foi de 3,2% para 2,79 noites, sendo que a subida foi sentida em todas as regiões, com destaque para os +8,3% do Alentejo, os +6,1% do Norte e os +5,5% de Lisboa. Esta variável registou as maiores subidas nos hotéis-apartamentos de 5 estrelas (+18,9%) e nos aldeamentos turísticos (+13,8%).

    Por outro lado, o RevPAR foi de 29,2 euros em abril, mais 6,1%, enquanto que o acumulado de janeiro a abril chegou aos 20,6 euros, subindo 8,3%. Destaque para as pousadas e aldeamentos turísticos, onde este indicador cresceu 38,2% e 30,0%.

     

    19/06/2014